São João do Piauí, 20 de outubro de 2014

21/05/2011 - 07h58

Prof. Edjôfre diz; falta comprometimento com a educação

O professor Edjôfre concedeu entrevista a Rádio Alvorada FM, onde falou sobre a falta de comprometimento de diretores e professores com a educação

 


O professore Edjôfre Coelho assumiu a Regional de São João do Piauí através de concurso público com a responsabilidade de gerenciar a educação em quinze municípios e mais de 41 escolas, sem contar com três pólos da UAB ( Universidade Aberta ).
 
            
                     Professor Edjôfre Coelho nos estúdios da Alvorada FM
 
O professor Edjôfre concedeu entrevista a Rádio Alvorada FM, onde falou sobre a falta de comprometimento de diretores e professores com a educação, e outros assuntos relacionados á regional de educação.
 
Edjôfre inicialmente falou sobre a  situação em que encontrou a regional  “ A regional de São João do Piauí é uma das maiores regionais do estado por conta disso seria hipocrisia dizer que não encontramos problemas, alguns a gente acredita que por causa dessa transição que começou com a mudança inicial de governador, secretario de educação estadual, e isso acaba repercutindo dentro das regionais.  A regional de São João financeiramente não estava muito endividada, estava organizada nesse sentido, são problemas mais estruturais e  pedagógicos.
 
“Temos alguns problemas com celetistas, com contratação, reposição de férias salarial, pequenos problemas que acabam acarretando no bom desenvolvimento da educação. Nossas escolas estão na média nacional do IDEB, muitas recebendo recursos, muitas tendo bons projetos para serem desenvolvidos. Mas infelizmente não adianta dizermos aqui ao contrario, muitas com problemas de gestão, muitas sem coordenadores pedagógicos, que fazem uma diferença muito grande na escola, muitas sem o quadro efetivo suficiente para atender a todas as expectativas. Alguns problemas com o pessoal administrativo, servidores gerais, que infelizmente fazem parte do processo que não deveria haver, mas no todo podemos dizer que temos soluções para isso”, afirmou o professor Edjôfre
 
Sobre greve dos professores Edjôfre foi enfático em destacar os prejuízos que a greve traz “A greve não deixa de afetar os alunos, assim que assumi tinha acontecido recentemente o fim  da greve, eu já recebi a regional com novos calendários, já tirando os dias da greve. Mas existem muitos problemas, tem um peso de prejuízo a qualidade escolar, por exemplo, alguns municípios que tiveram alguns meses parados de aulas por contas de chuvas, de estradas, como foi o caso de lagoa do Barro do Piauí. Caso como o do município de Capitão Gervasio Oliveira que começou as aulas muito tarde por conta do prédio, uma situação estrutural no prédio da escola, são situações paralelas a greve e que prejudica o aluno.
 
O professor Edjôfre também comentou sobre a polêmica do Livro didático distribuído pelo MEC  “É uma situação meio complicada, como isso pode acontecer uma vez que nós sabemos que o ministério da educação, assim como as grandes instituições, elas tem todo um processo. Então para esse livro didático chegar a ser finalizado passou por diversos setores, por revisões,  por análises. É quase que injustificável o fato desse livro ter saído com erros. Por outro lado a gente tem que ver que o custo que o ministério teve com esse material é muito alto, realmente seria muito complicado essa devolução. O indicado é haver um aditivo para que o ministério mande ao menos essas partes em anexo para as escolas e para que os professores passem para os alunos que erramos e somos humanos.  Não deveria acontecer mas infelizmente aconteceu agora é tentar uma solução que diminua o problema”.
 
Sobre a educação de uma forma geral e comportamento dos alunos o professor Edjôfre disse: “ Isso tem nos preocupado, existe uma escola aqui em São João do Piauí que tem um índice muito grande de alunos da periferia que são envolvidos com drogas, não temos nenhuma ciência ou caso de armamento dentro da escola, por enquanto não chegou a regional nenhum caso desse tipo.  Mas chegou de uso de drogas, de casos em que a policia teve que chegar até a escola, e isso tem nos preocupado. O que temos percebido como a regional esta em fase de tramitação e estamos muito aquém do que deveria ser, porque nós não somos independentes, a regional não é como a secretaria municipal de educação em que o eixo dela é diretamente com a prefeitura e pronto, e problemas são resolvidos imediatamente. A regional não é assim, nós atendemos a quinze municípios, toda essa região e somos subordinados a SEDUC.  Eu sou o gestor só que a minha gestão é condicionada a um outro gestor, não é tudo que eu sei que deveria fazer, as vezes não posso. Então algumas pessoa estão aproveitando essa fase de mudança para avacalhar o processo, para não gerir as escolas como deveriam serem geridas, e isso se repercute no aluno, por isso ele se torna mais vulnerável, porque a escola não esta toda organizada, toda sistematizada, então da espaço para que o aluno se drogue. E algumas escolas tem uma entrada e saída sem um controle, temos mais esses problemas com alunos jovens e adultos, cujos os pais não participam da vida escolar do mesmos, eles são mais relapso nesse sentido porque os filhos são grandes a maioria responde por si mesmo. E o complicado disso é que a  regional,  o gerente não pode interferir na parte do gestor da escola, eu não posso passar por cima da autoridade do gestor da escola.  Vamos ter novas eleições de gestores esse ano, em outubro começa esse processo, é sabido que o governo vai mudar o processo de eleição, um dos critérios vai ser uma investigação da vida privada do gestor. Mas o que percebemos é que a maioria, aqui na regional de São João do Piauí,  é que os diretores não querem mais ser diretores”, completou Edjôfre.
 
O professor Edjôfre disse ainda; “pedimos paciência, nessa fase de trasição tem acontecido alguns problemas graves, alguns quase sem solução,  mas me coloco a disposição, talvez não tenha as resposta para os problemas mas podemos compartilhar eles. São 41 escolas da rede estadual, mas três UAB, e embora muitas pessoa não saibam mas a UAB também é de responsabilidade da regional de educação, quando junta tudo é muita gente, e trabalhar com gente é complicado. Tenho uma parcela de pessoas que querem contribui, gestores  que querem contribuir, professores de qualidade, comprometidos. Tenho uma parcela de pessoas que não querem contribuir, não adianta fugir dessa realidade, alguns não tem responsabilidade, tanto faz como tanto fez, e temos que ir levando aos poucos”, finalizou o professor.

Autor/Fonte: Wberlanil Dias

| Mais


Clique aqui para destacar o player

  • FALE CONOSCO
  • Pé de Figueira
    Rua Sabino Paulo, 696 - Centro
    São João do Piauí
    Cep: 64760-000
    Tele/Fax: (89) 3483-1607
    Email: redacao@pedefigueira.com.br
Site by Masavio